quarta-feira, 16 de novembro de 2016

CONFISSÕES

14 de novembro (2016),

Fiquei intrigado em meu a sós com Deus do dia de hoje. No tempo que dedico para o a sós com Deus o texto que escolho e, sempre o escolho aleatoriamente, comunica algum direcionamento para uma inquietação imediata. Algo com que venho lutando a dias.

Mas não foi o que me aconteceu hoje, entretanto. O texto escolhido a esmo foi o primeiro capítulo da carta de Paulo a Timóteo. Não obtive daí nenhuma orientação específica, pessoal, como das demais vezes até agora. Quero dizer, daquelas lições que calam a dor do coração que geme. O meu tem sempre algo que o faz gemer. Por isso, sempre levo a Deus minhas queixas.

Porém, o texto me trouxe muitas lições para a vida, lições diversas. Não necessariamente para o momento. Sempre fico ou ficamos esperando aquele friozinho na coluna ou aquele arrepio de cabelos quando buscamos a Deus. Mas parece que ele não se repete. Assim como o profeta que achava que Deus estava no redemoinho e Deus não estava. Achava que estava no fogo e Deus não estava. Acabou por acha-lo numa brisa gentil que certamente soprava sua face vermelha resultado da depressão por que passava.

Chamou minha atenção nesse texto o trato de Paulo a Timóteo. Paulo o tratava com gentileza dando a ele uma tarefa para executar, mas o fazendo com gentileza chamando-o de filho. Aprendi que não importa meu status quo devo sempre tratar o outro com brandura.

Li que Paulo disse que o verdadeiro ensino do Evangelho promove paz duradoura quando corretamente pregado. Quando as doutrinas bíblicas são estudadas e apresentadas aos ouvintes. Doutro modo causa confusão.

Eu esperava que Deus me direcionasse para algo específico para o dia, mas Deus vi que eu precisava de consertos em mais coisas do que meus vis olhos podiam perceber. Havia muitas outras coisas para serem consertadas não só o que eu apresentei a ele naquele dia.


Na conversa com deus volta e meia ele sempre refaz o roteiro nos dá uma melhor leitura de coisas necessárias.