quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Crônica 2, 11/2016

O evangelista Mateus é dono de uma versatilidade literária invejável. Ele respeita as tradições de seu povo, sem contudo, trancar a porta da ação de Deus que age apesar das tradições.

Os escritores contemporâneos de Mateus não demonstravam a mesma habilidade e em respeito a tradição barravam a ação de Deus em favor das pessoas. Foi sobre isso a reprimenda de Jesus: "Bem invalidais o mandamento de Deus para guardar a vossa tradição."

Como exímio escritor que é, Mateus inicia seu Evangelho apresentando a genealogia do Senhor Jesus. O Judeu valorizava muito as genealogias porque cria por elas manter a pureza da raça.

Representativamente o gênero masculino encabeçava as genealogias. Porém o Judeu tradicional via nisso um apequenamento do gênero feminino sem que tivesse havido da parte de Deus qualquer indicação para isso.

Mateus insere na genealogia o nome de quatro mulheres quebrando a tradição judaica. O objetivo de Mateus era o de mostrar a importância dos dois gêneros em favor do plano de Deus em benefício da humanidade.

As mulheres em questão tiveram suas vidas transformadas pela graça de Deus e Mateus viu nisso importância para relacionar essas mulheres  na lista dos familiares do Salvador.

Com esse gesto de quebra de tradição, Mateus assegura que homens e mulheres são importantes e, tendo passado pela transformação realizada por Deus podem ser canais de transformação de Deus para outras pessoas.

A via que Mateus encontrou para tratar do tema da exclusão feminina tão presente em seus dias foi muito eficiente. Sua habilidade como escritor põe a questão em foco em nosso tempo onde o problema persiste e deve ser combatido.