quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A cobra, o Diabo, Meus amigos, Shakespeare e o Google

Aessa altura você deve está pensando que as crônicas que tenho escrito não sejam fruto do meu desafio pessoal de leitura, aquele de ler os dez primeiros capítulos dos grandes livros da Bíblia. Mas sao. Porém,  isso não vem ao caso. O importante é que voce está lendo, o que, aliás, aproveito para agradecer.

Bem, mas prossigamos.

Há duaz entidades nesse mundo para quem tiro o chapéu. Uma viva e a outra já se foi para o céu dos gênios.

A primeira se trata do Google e a outra do invejável William Shakespeare. Lamento de antemão não ter ainda lido nenhum livro desse gênio,  digo de Shakespeare.

Dada minha admiração pelo Google fiz a ele a seguinte indagação : Senhor conhecedor de todas as coisas debaixo do sol responda 'quais animais que fora a cobra que pertenceu temporariamente ao Diabo e a mula que pertenceu a Balaão falaram? '

A resposta só nao veio imediatamente porque minha conexão é  lenta. O Google disse: --" nenhum outro". E acrescentou : -- "O androglossini parece falar, mas na verdade só imita, não desenvolve nenhuma conversa inteligível. "

E como o Google é mesmo um gênio e temos uma boa relação ainda me deu maiores informações sob o título de 'informações relacionadas ':

"Um grande peixe engoliu um homem e depois o vomitou fora são e salvo. Um outro peixe de menor porte engoliu duas moedas que foram suficientes para pagar o caríssimo imposto de dois homens pobres quando foi pescado; um outro se notabilizou por conduzir o Filho de Deus em seus lombos e, outro da nesma especie,  ficou conhecido por sua bravura nas guerras. Mas falar, falar mesmo só os dois de que já conversamos. "

Acreditem amigos. Foi nesse tom minha conversa com o Google. Digam se não devo ter o maior zelo por essa amizade?

Já de outros amigos não sei se is devo ter em alta conta. Sabendo eles da minha crença nas histórias da Bíblia, sem qualquer cerimônia acusam meu estimado livro de ser fantasioso, livro de ignorante e coisas assim.

E foi daí que nasceu minha admiração e respeito pelo gênio William Shakespeare.  Ele resolveu pra mim em uma frase o que eu não diria em mil e foi um tiro certeiro nos meus, digamos: amigos. Disse o William (desculpem a intimidade ): "Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã folosofia."

Ao que acrescento: ainda mais em se tratando de Deus.

Ora. Ora. Ora....